A ideia de ócio criativo foi desenvolvida pelo professor ​e sociólogo italiano Domenico de Masi​ na década de 90. Sua proposta é demonstrar que afastar o estresse e encontrar satisfação pessoal em meio à turbulência dos dias modernos, pode trazer grandes benefícios como o aumento da criatividade. ​Domenico afirma:

“Existe um ócio alienante, que nos faz sentir vazios e inúteis. Mas existe também um outro ócio, que nos faz sentir livres e que é necessário à produção de ideias, assim como as ideias são necessárias ao desenvolvimento da sociedade.”

Quando pensamos em ócio nossa mente nos remete automaticamente à falta de ocupação, preguiça, moleza. Porém o ócio criativo é exatamente o oposto. Trata-se de ​uma pausa necessária para a mente em meio ​a correria do dia a dia. Tendo em vista oxigenar o nosso prazer pela vida, para que possamos entrar em um estado de relaxamento com o foco em produzir criativamente. E isso em nada tem haver, com aquela vontade de simplesmente não fazer nada.

A maioria de nós confunde o ócio com a preguiça. A diferença consiste em que o ócio tem por objetivo gerar resultados produtivos com diferenciais relevantes. Enquanto que a preguiça é irrelevante por si só, ela não gera nenhum resultado e não constrói nada.

O ócio criativo deve unir trabalho, estudo e lazer. De maneira que seja possível desfrutar dos resultados produzidos ​pelo trabalho, do conhecimento advindo do estudo e do relaxamento promovido pelo lazer.

Todavia, a falta de tempo tem se tornado uma desculpa cada vez mais frequente em nossos dias para um lazer produtivo. As pessoas alegam não terem tempo para refletir. No entanto, é exatamente no tempo investido em reflexões que podem nascer grandes ideias.

Se você deseja ser uma pessoa criativa, fazer pausas para refletir é totalmente necessário. Será importante adotar uma postura de comprometimento em criar e em inovar, através de momentos dedicado ao questionamentos e as reflexões. Pois como já dizia Henry Ford: “Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele.”

“A minha boca falará com sabedoria; a meditação do meu coração trará entendimento”. (Sl 49:3).

 

Daniele Crespo – Integrante do Estúdio do Corpo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.